quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Saudade...

Saudade é a parte invisível do outrora tocável
Do hoje distante.
Saudade é opassado trascrito no presente
Inconsequente, cheio de remorsos

Saudade é a certeza da longitude do objeto amado
É a dor da incapacidade de ser
O alívio de não ter mais que decidir

A decisão é algo eterno.
O amor é algo sem fim... sem fim...

A saudade é inútil, mas inevitável.
Amor é algo eterno que nunca dura o suficiente.
A decisão é a razão da natureza pecadora humana.

Vejo mapas ao acaso
Vejo flores na janela
Vejo pássaros no muro.
A bolsa de valores,
As dívidas que sobraram de meses e meses.

Faço um desenho com giz na janela,
a bola rola, a vida continua.

E, ao menos para mim,
A saudade ainda é inútil, mas inevitável.
Amor é algo eterno, mas que nunca dura o suficiente.
E a decisão é o grande karma natureza pecadora humana.

(Eloisa Rocia)

0 comentários:

Postar um comentário

Olá, amiga, amigo...
Espero que tenha gostado do blog e que volte muitas vezes neste espaço!
Abraço!
Eloisa